#2017

Olá pessoal, sinto muitíssimo por ter me afastado de vocês em 2016, mas foi um grande período de adaptação pra mim, escola nova, varias matérias, mudei de cidade. Então acabou que eu não fiz nenhuma postagem no blog. Peço desculpa principalmente aos autores de parceria, e garanto que os livros serão lidos o mais rápido possível.

Resenha: O código da Vinci (Dan Brown)

Título Original: The Da Vinci Code
Versão Brasileira: O código da Vinci
Autor: Dan Brown
Tradução: Celina Cavalcante Falck-Cook
ISBN: 85-99296-12-4
Gênero: Criptografia - Ficção
Editora: Arqueiro
Ano: 2006
Páginas: 367

                            Avaliação: ✩✩✩✩✩





Sinopse  

       Um assassinato dentro do Museu do Louvre, em Paris, traz à tona uma sinistra conspiração para revelar um segredo que foi protegido por uma sociedade secreta desde os tempos de Jesus Cristo. A vítima é o respeitado curador do museu, Jacques Saunière, um dos líderes dessa antiga fraternidade, o Priorado de Sião, que já teve como membros Leonardo da Vinci, Victor Hugo e Isaac Newton.
       Momentos antes de morrer, Saunière consegue deixar uma mensagem cifrada na cena do crime que apenas sua neta, a criptógrafa francesa Sophie Neveu, e Robert Langdon, um famoso professor de Simbologia de Harvard, podem desvendar.
       Os dois transformam-se em suspeitos e em detetives enquanto percorrem as ruas de Paris e de Londres tentando decifrar um intricado quebra-cabeça que pode lhes revelar um segredo milenar que envolve a Igreja Católica.
       Apenas alguns passos à frente das autoridades e do perigoso assassino, Sophie e Robert vão à procura de pistas ocultas nas obras de Da Vinci e se debruçam sobre alguns dos maiores mistérios da cultura ocidental - da natureza do sorriso da Mona Lisa  ao significado do Santo Graal.
       Mesclando com perfeição os ingredientes de uma envolvente história de suspense com informações sobre obras de arte, documentos e rituais secretos, Dan Brown consagrou-se como um dos autores mais brilhantes da atualidade.
O código da Vinci prende o leitor da primeira à última página.

 Resenha

    
        Robert Langdon está em descanso em um hotel em Paris após dar uma palestra sobre o simbolismo pagão oculto. Quando é chamado pela DCPJ ( Quase uma FBI francesa) para ajudar a investigar alguns símbolos deixados por Jacques Saunière antes de sua morte, após levar um tiro. Sophie Neveu criptógrafa (Neta de Saunière) e Robert Langdon estão em uma corrida contra o tempo, sendo eles ao mesmo tempo investigadores e principais suspeitos do assasinato.                   
        Robert e Sophie vão a procura de pistas nas obras de Da Vinci, e se deparam com um mistério que varias pessoas já tentaram desvendar: O Santo Graal. Nas ruas de Paris, e da Londres os dois estão tentando ao mesmo tempo desvendar o mistério e fugir da policia e do assassino, chega a tona uma antiga fraternidade secreta já existente desde os anos de Jesus Cristo, O Priorado de Sião.


                                                Imagem disponível em @bibliotecacrazy 
 
O livro retrata uma trama muito interessante e envolvente, trazendo em si varias obras de arte, documentos, trechos bíblicos e de rituais secretos. Traz uma linguagem coloquial, mas não muito difícil de se entender. Com uma capa muito elegante tendo em si O olhar de Mona Lisa e o homem vitruviano duas obras de Da Vinci. Traz folhas amarelas, ótimas para leitura sob luz forte e não cansativa para a visão, fonte média e apenas 367 páginas favorecem muito para a leitura, da para ler bem rápido. Enfim, se você procura um suspense com códigos e símbolos, e uma história que pode mudar a qualquer momento, o código Da Vinci é um ótimo entretenimento para você!
 
Tchau, obrigado pela visita!
Voltem sempre! 
 
 
 
      
          

Cine Pipoca #1 (Malévola)




                                    

Título original: Maleficent
Lançamento: 29 de maio de 2014
Duração: 97 minutos 
Dirigido por: Robert Stromberg 
Com: Angelina Jolie
Gênero: Fantasia 
Classificação indicativa: 10 Não recomendado para menores de 10 anos
Classificação pessoal: ✩✩✩✩✩
  
Baseado no conto da Bela Adormecida, o filme conta a história de Malévola (Angelina Jolie), a protetora do reino dos Moors. Desde pequena, esta garota com chifres e asas mantém a paz entre dois reinos diferentes, até se apaixonar pelo garoto Stefan (Sharlto Copley). Os dois iniciam um romance, mas Stefan tem a ambição de se tornar líder do reino vizinho, e abandona Malévola para conquistar seus planos. A garota torna-se uma mulher vingativa e amarga, que decide amaldiçoar a filha recém-nascida de Stefan, Aurora (Elle Fanning). Aos poucos, no entanto, Malévola começa a desenvolver sentimentos de amizade em relação à jovem e pura Aurora.


Malévola, é uma releitura muito boa da Bela adormecida, mas trás a História de um lado diferente, sendo Malévola (a bruxa) o centro da narrativa e dos acontecimentos. Desde pequena Malévola era a  a fada (mesmo com chifres) guardiã e a protetora do reino dos Moors. Tudo ia bem, até ela se apaixonar por Stefan um humano que não pertencia ao seu reino. Após vários anos e o afastamento de Stefan, sua ambição para se tornar rei passou dos limites, e Malévola passa a se tornar uma mulher sombria e vingativa, sendo esta amaldiçoando a filha Stefan, Aurora. Mas após vários anos em que Aurora estava em exílio Malévola passa a desenvolver um sentimento, não de ódio mas de amor pela garota.

O filme não deixa a desejar a Disney como sempre se superou, o roteiro é ótimo, e a releitura ficou excepcionalmente boa, os efeitos visuais e sonoros ficaram ótimos. O elenco estava completo por feras sendo estes: Angelina Jolie (Malévola), Elle Fanning (Aurora) e Sharlto Copley (Stefan), entre outros.
Recomendo a todos que gostam de contos de fadas para terem uma outra versão da história.

Tchau, obrigado pela visita!
Voltem sempre!
   



Resenha: A garota da casa grande (Amanada Marchi)

Tíulo: A garota da casa grande
Autor(a): Amanda Marchi
ISBN:078-85-428-0023-4
Gênero: Romance - Ficção brasileira
Editora: Novo Século
Ano: 2013
Páginas: 111



                   Avaliação: ✩✩✩✩✩


Sinopse

       O Livro A garota da casa grande é narrado por sua personagem principal, Georgia, que, sarcástica e ironicamente, apresenta-nos seu mundo através de seus belos olhos azuis. Presa na casa de sua avó em uma cidade pequena, onde não há nem ao menos um shopping, ela se vê em uma rotina monótona até conhecer Alice, sua vizinha não-da-frente-mas-da-diagonal.
       Um romance, sobretudo, entre seres humanos, que lutam contra o preconceito da cidade pequena e de si mesmas.

Resenha 

       O livro começa quando Georgia vai para uma cidade pequena, passar as férias na casa de sua avó. Lá sem nenhuma coisa a fazer, sua única companhia era Max um Golden Retriever, que seria sua responsabilidade e também seu único amigo durante aqueles dias.
      "Todas as manhãs eram a mesma coisa. Eu acordava quase sonâmbula com a música mais calma do meu celular, para não me sobressaltar; dirigia-me à cozinha, onde minha avó já estava sentada fazendo seu tricô matutino; deleitava-me com alguma coisa da geladeira que descia minha garganta como se fosse papelão; e saía para minha caminhada com Max, meu único amigo naquela cidade monótona e abandonada pelo capitalismo industrial."   
Até que um dia, em sei passeio matinal com Max ela acaba conhecendo Alice, e uma grande amizade surge, e os seus dias naquela cidade passam a ficar mais interessantes, trazendo a tona um grande romance entre elas. Um romance tão puro entre duas pessoas, que faz o leitor deixar de lado o tabu e o preconceito de um uma vida amorosa entre duas pessoas.
 




Eu particularmente gostei muito do livro, foi um de poucos romances que li e que que realmente gostei. A autora escreve muito bem,  o livro tinha poucas páginas e como eu estava gostando tava tentando demorar o máximo possível para que ele não acabasse rápido, mas meus esforços falharam e eu li o livro em dois dias e quando chegou no final eu fiquei...triste por ter acabado, mas enfim gostei muito e recomendo a todos que gostam de romance.
Vamos para parte física; a capa é muito bem elaborada e elegante, a diagramação estava perfeita e para melhorar ainda mais a situação... folhas amarelas, na parte física e editora Novo Século como sempre nunca deixa a desejar.

O livro agora tem um e-book, com uma nova revisão que a autora envia gratuitamente para qualquer um que pedir. Basta mandar um e-mail para: agarotadacasagrande@outlook.com . Não perca a chance de ler este livro maravilhoso!
Tchau, obrigado pela visita!
Voltem sempre!


Resenha: O Símbolo Perdido (Dan Brown)




Título Original: The Lost Symbol
Versão Brasileira: O Símbolo Perdido
Autor: Dan Brown
Tradução: Fernanda Abreu
ISBN: 978-85-99296-68-4
Gênero: Sinais e símbolos - Ficção
Editora: Sextante
Ano: 2010
Páginas: 443

                     Avaliação: ✩✩✩✩✩



Sinopse 

            Depois de ter sobrevivido a uma explosão no Vaticano e a uma caçada humana em Paris, Robert Langdon está de volta com seus profundos conhecimentos de simbologia e sua brilhante habilidade para solucionar problemas .

            Em O símbolo perdido, o célebre professor de Harvard é convidado às pressas por seu amigo e mentor Peter Solomon - eminente maçom e filantropo - a dar uma palestra no Capitólio dos Estados Unidos. Ao chegar lá, descobre que caiu numa armadilha. Não há palestra nenhuma, Solomon está desaparecido e, ao que tudo indica, correndo grande perigo.
Mal'akh, o sequestrador, acredita que os fundadores de Washington, a maioria deles mestres maçons, esconderam na cidade um tesouro capaz de dar poderes sobre-humanos a quem o encontrasse. E está convencido de que Langdon é a única pessoa que pode localizá-lo.
Vendo que essa é sua única chance de salvar Solomon, o simbologista se lança numa corrida alucinada pelos principais pontos da capital americana: o Capitólio, a Biblioteca do Congresso, a Catedral Nacional e o Centro de Apoio dos Museus Smithsonian.
Neste labirinto de verdades ocultas, códigos maçônicos e símbolos escondidos, Langdon conta com a ajuda de Katherine, irmã de Peter e renomada cientista que investiga o poder que a mente humana tem de influenciar o mundo físico.
O tempo está contra eles. E muitas outras pessoas parecem envolvidas nesta trama que ameaça a segurança nacional, entre elas Inoue Sato, autoridade máxima do Escritório de Segurança da CIA, e Warren Bellamy, responsável pela administração do Capitólio. Como Langdon já aprendeu em suas outras aventuras, quando se trata de segredos e poder, nunca se pode dizer ao certo de que lado cada um está.
Nas mãos de Dan Brown, Washington se revela tão fascinante quanto o Vaticano ou Paris. Em O Símbolo Perdido, ele desperta o interesse dos leitores por temas tão variados como ciência noética, teoria das supercordas e grandes obras de arte, os desafiando a abrir a mente para novos conhecimentos.
 

Resenha

             A história do livro começa quando o professor Langdon é convidado pelo seu amigo Peter Solomon, para dar uma palestra no Capitólio. Após a marcação de horário e chegada, Langdon descobre que tudo não passou de uma enganação, que não daria palestra alguma e que seu amigo Peter estava sequestrado e correndo grande perigo de vida. 
            O seu sequestrador Mal´akh acreditava que havia um tesouro maçom  capaz de dar poderes a quem tivesse a honra de encontra-lo, e a sua proposta é que, se Langdon localiza-lo Peter seria salvo.
           Assim Langdon estava em uma corrida contra o tempo para desvendar esse segredo, através de códigos e símbolos maçônicos cifrados, e outro contra tempo era a CIA que também estava envolvida, e  Inoue Sato, Autoridade máxima do ES da CIA afirma que este caso é perigo de Segurança Nacional, mas Langdon duvidava disso achando que Sato estava interessada demais nesse segredo.
           Langdon também conta com a ajuda de Katherine Solomon irmã de Peter e cientista noética  que investiga o poder da mente humana.

          Eu particularmente gostei muito do livro, Dan Brown como sempre escreve muito bem, e também te deixa meio perdido na história, ou seja tudo pode mudar a cada capitulo, o que eu também achei bem interessante é que há vários símbolos no livro, códigos que você vai decifrando a cada capitulo. Vamos para a parte física do livro, a diagramação estava muito boa, gostei muito da capa e como sempre a editora Sextante se supera na diagramação e não me decepciona nesta parte. Gostei muito do livro, e vou ler agora o Código da Vinci e Anjos e Demônios, a Neto por que você leu o símbolo primeiro sendo que a ordem é Anjos e Demônios, Código da Vinci e o Símbolo Perdido, o Símbolo perdido chamou mais minha atenção então eu decidi ler ele primeiro e após ler os três, acho que vou ler (tenho quase certeza) Inferno o novo livro de Dan Brown.
        Enfim, eu gostei do livro recomendo a todos que gostem de mistério, símbolos, códigos, etc... a lê-lo também porque eu tenho certeza que vocês vão gostar.



Então por hoje é só pessoal, a minha programação agora vai ser uma resenha por semana, geralmente vai ser na terça-feira e na quarta ou na quinta vou postar critica de filmes, porque uma semana eu acho que dá para eu ler um livro e em 1 hora da pra assistir um filme de boa.
Então Tchau, Obrigado pela visita, não se esqueça que curtir a fan-page seguir o blog e deixe seu comentário sobre oquê você achou da resenha 
Fui!!
   

Resenha O menino Que Colecionava sonhos

Olá todos os tipos de pessoas que estão lendo crianças, adolescentes , adultos , idosos , ETs , animais.. enfim todos que estão lendo. Como sabem essa semana estava programado a estreia do novo colunista, mas por motivos maiores ele não pode fazer a resenha e nenhuma outra postagem então eu vim substituir ele e postar uma nova resenha. O menino que colecionava sonhos então vem pra cá.

Resultado: Enquete Qual Melhor Musica...


Oi queridinhos e queridinhas, hoje é domingo dia do resultado da enquete proposta semana passada

e o resultado esta aqui para vocês então vamos lá...